Tag: Sales Consulting

Será que o seu website está… gordo?

SiteGordo

É importante que o seu website se distinga das páginas dos seus concorrentes. Informação sobre a empresa, imagens de apresentação das suas instalações e produtos, quem sabe um video sobre os seus serviços?

 

Estas informações são relevantes para os seus clientes. Mas, por vezes, cai-se no erro de colocar demasiada informação no website – e esse excesso de zelo de apresentar a sua marca pode trazer consequências negativas:

› As páginas demoram muito tempo a abrir. O browser passa segundos a apresentar a informação e, numa era em que ninguém tem tempo de sobra, acredite: o seu possível cliente não vai ficar muito tempo à espera. E vai passar para o link da concorrência.

› Demasiada informação no website poderá trazer um aumento dos dados necessários para o download completo do website. E numa altura em que todas as pessoas usam telemóveis para aceder à internet – serviço pago às operadoras móveis – não vai querer, de certeza, que uma visita ao seu website seja uma despesa para o seu cliente. Por curiosidade, clique no link abaixo e veja quanto custa visitar o seu website em diferentes países – vai ficar surpreendido.

whatdoesmysitecost.com

› Os mais recentes desenvolvimentos nos motores de pesquisa levam a que a velocidade de upload de um website seja um dos factores mais relevantes para os algoritmos de SEO. Se o seu website demorar muito tempo a carregar, motores como o Google vão preferir websites mais leves para os primeiros lugares.

Também pode acontecer o seu website ser antigo, ou estar feito numa linguagem mais antiga, com programação de base excessiva que obriga mais esforço para conseguir ser aberto. Ou até páginas desnecessárias que, por abandono de manutenção do website, apenas estão a pesar na generalidade da plataforma.

O desenvolvimento web não pára. Websites fantásticos de há 4 anos atrás hoje em dia poderão já não estar adequados. Para se aproveitar todas as potencialidades que a web hoje permite é necessário que qualquer empresa se mantenha actualizada. E se não o fizer, os seus concorrentes farão-no, certamente.

Contacte a sua empresa de webdesign: poderão ajudar.

Cristina Dias
Business Development @ Selmax

O seu website está preparado para o último teste do Google?

googlelogo

A Google anunciou que a partir de 21 de Abril vai passar a levar em conta se um website é, ou não  responsive, como factor de avaliação para o ranking nos lugares das suas pesquisas.

 

Cada vez mais as pessoas usam os seus telemóveis para aceder à internet. E a Google decidiu usar esse factor como avaliador da qualidade de um website para merecer a visita de um utilizador de internet.

Hoje fala-se muito de aparecer “nos primeiros lugares da Google”. E em SEO. E sobre todas as técnicas que poderão fazer com que o seu website seja aquele que aparece primeiro quando um possível cliente procura pelo seu produto e/ou serviço.

Mas não existem soluções fáceis. Ou baratas. Ou rápidas. A realidade dos próximos tempos tem de ser encarada de frente: apenas os websites que utilizam as linguagens mais recentes, com os conteúdos mais relevantes, serão aqueles que conquistarão os tão ambicionados primeiros lugares.

A própria Selmax está neste momento a desenvolver uma nova plataforma de forma a fazer face a estes novos parâmetros de usabilidade.

Quer saber se está preparado para a grande nova mudança?
Veja directamente na página de avaliação da Google e veja se o seu website passa no teste de compatibilidade com dispositivos móveis:
Google › Mobile Friendly?
O seu website passou? Fantástico.
Não? A Selmax pode ajudar.

Contacte-nos.

 

 

 

Empresas de web design: o trigo e o joio

Crossroad

As empresas de webdesign hoje em dia surgem por todo o lado que nem pãozinhos quentes.

A internet  está presente em todas as nossas actividades do dia-a-dia e é uma ferramenta inegável para o aumento do seu negócio. Em resposta a esta necessidade surgiram várias empresas e freelancers ansiosos de oferecer os seus serviços. A oferta é variada e dúvidas podem surgir: quem não conhece a actividade pode ficar intimidado pelo desconhecido e não fazer a melhor opção. E muitas vezes os problemas só surgem depois de já ter investido algum dinheiro.

Então quais são os principais problemas que podem surgir ao escolher uma empresa de webdesign?

“Conheço um freelancer/um sobrinho/um informático que me vai fazer o site”.
O desenvolvimento de linguagens web cresceu muito nos últimos quatro, cinco anos. Qualquer profissional que se dedique a esta área tem de ter um esforço em manter-se permanentemente actualizado com os últimos desenvolvimentos. Um profissional que há cinco anos atrás fazia websites em flash, por exemplo, deverá ter adquirido novas competências, senão os seus websites já não serão compatíveis com a maior parte das plataformas.

Para além de que as competências necessárias para fazer um website com qualidade diversificaram-se em várias especializações: um designer dificilmente terá as competências técnicas e informáticas necessárias para construir um website, ao passo que um informático nunca poderá dar um aspecto visual profissional ao seu website. É possível que um único profissional acumule estas duas vertentes, mas é muito raro – normalmente uma das vertentes irá falhar.

“Tinha um freelancer a fazer o website mas entretanto desapareceu e não terminou o trabalho/ficou com os códigos de acesso, etc.”
Esta é a queixa mais comum. A esmagadora maioria dos freelancers trabalham como freelancers enquanto não conseguem arranjar um emprego satisfatório. Quando isso acontece, devido às novas exigências da sua actividade profissional numa nova empresa, deixam de ter tempo para a gestão das suas anteriores responsabilidades. E o cliente anterior é muitas vezes abandonado numa situação complicada. Contratar os serviços de uma empresa é muito mais seguro.

“A empresa de webdesign está-me sempre a pedir mais dinheiro”
Esta á a altura em que se lembra de todas as alíneas da proposta que lhe foi enviada pela empresa. Antes de adjudicar um serviço peça por escrito uma proposta que exemplifique todo o serviço que é suposto ser-lhe proposto: fases de execução, funcionalidades que o website irá ter, número de propostas de design, serviços adicionais de manutenção, etc. Leia tudo e se achar que algo não está explícito, pergunte. As vezes que forem precisas.

Não se baseie apenas no website da própria empresa: é o seu trabalho, por isso poderão ter um fantástico website. Analise o portfólio: veja os websites que a empresa já fez, veja se ainda estão online e se não apresentam problemas. Veja um dos clientes e telefone a pedir referências. Tudo para que se sinta mais seguro ao adquirir este serviço. E para que em breve tenha um website para a sua marca de que se possa orgulhar.

Cristina Dias
Business Development @ Selmax

Razões para investir num novo Logotipo para a sua Empresa

Bright blue and orange shapes

Qualquer empresa tem como regra principal o controle de custos e a optimização dos recursos, mas há uma área onde muitas empresas insistentemente cortam custos, com resultados negativos para a imagem da mesma: a criação do logotipo da empresa.

Infelizmente vê-se diariamente o esforço de poupança das empresas no que toca a logotipos em Portugal: imagens pouco originais, logotipos repetidos, imagens sem acabamento profissional e até empresas sem logotipo nenhum.

Um bom logotipo tem de ser único. Tem de, numa única imagem, transmitir o que a sua empresa representa, qual a personalidade empresarial e a que clientes se destina. Um logotipo descuidado apenas irá dar descrédito à imagem da sua marca – e um impacto muito negativo junto dos seus clientes.
E para criar um logotipo é necessário conhecimentos e experiência ao alcance apenas de profissionais da área. Imagens que sejam estudadas para ser visíveis em qualquer tipo de plataformas, estudo de formas, cores, tipos de letra. Uma série de pormenores que farão a diferença quando colocar o seu logotipo tanto num outdoor como num cartão de visita.

Um logotipo feito por alguém sem experiência ou pelo familiar “com jeito para o desenho” vai transmitir uma nota de falta de profissionalismo ao seu mercado alvo. Podem pensar que não teve dinheiro para comprar um logotipo a um designer competente. Ou, pior, podem pensar que a sua marca é uma marca “barata”, com resultados condizentes.

É necessário competências e recursos especiais para desenhar um logotipo. Software específico e conhecimento para trabalhar com o mesmo. Contacte a sua empresa de design e peça uma cotação: por um investimento inicial ficará com uma imagem única para identificar a sua empresa, imagem durável durante muitos anos.

Um logotipo cuidado irá apresentar a sua empresa como estabelecida, credível, legítima. Com uma imagem consegue ficar mais próximo do seu cliente. Com a sua imagem de marca irá conseguir demarcar-se da sua concorrência. É o símbolo da sua empresa e tem de ser algo no qual sinta orgulho.

Cristina Dias
Business Development @ Selmax

http://www.business2community.com/branding/shouldnt-try-design-logo-0740326#!r6FBi
http://www.logodesignteam.com/why-logo-design.php

Pequenas alterações no seu website que poderão aumentar as suas vendas

Making Money OnlineLonge vão os tempos em que o website se limitava a ser um catálogo estático dos serviços e produtos que as empresas tinham para oferecer. Actualmente, o website deve ser uma ferramenta de diálogo, que perceba e vá ao encontro das aspirações do segmento de mercado a que se dirige.
E algumas alterações ao seu website actual poderão ter um impacto imediato nas suas vendas.

1. Adicione conteúdo em video ou infográficos
O cérebro humano processa informação visual 60.000 vezes mais rápido do que texto escrito. Por isso pondere substituir os longos e enfadonhos textos de descrição de produto por uma informação mais visual. Home pages com videos têm um aumento da taxa de conversão de 86% e os clientes têm tendência a demorar-se mais tempo nestes sites.

2. Globalize o seu website
Se por enquanto o seu website ainda está só em português compreende certamente que está a desperdiçar uma grande fatia de mercado, mesmo que as suas maiores vendas não sejam para exportação. Colocar o seu website como bilingue, adicionar o inglês, principalmente, irá dar uma imagem mais profissional e abrangente à sua marca.

3. Actualize o seu website tecnicamente
Hoje as pessoas não têm tempo para aguardar páginas de internet lentas, que demorem segundos para abrir conteúdos, ou cuja linguagem não esteja adequada às plataformas existentes. Certifique-se que o seu website está desenvolvido numa linguagem actualizada e, se não for o caso, considere uma reconstrução. Porque o seu próximo cliente mais depressa abrirá a página do seu concorrente em vez de ficar à espera que a sua apareça.

4. Use design responsive
A maioria dos consumidores acede à internet de vários equipamentos diferentes: portáteis, smartphones, tablets… As previsões apontam para que 29% de todas as transacções online sejam efectuadas em dispositivos móveis. Design responsive irá permitir que o seu website tenha uma visualização optimizada em todo o tipo de plataformas, ao mesmo tempo que aumenta o SEO.

5. Publique comentários de consumidores satisfeitos
É importante que o seu website apresente conteúdo relevante para o visitante, e uma informação que é sempre considerada importante são opiniões de consumidores que já tenham experimentado o seu produto ou serviço. Estudos demonstram que 70% dos consumidores confiam em opiniões de outros consumidores, enquanto apenas 10% consideram a publicidade como informação confiável.

6. Pesquise a sua concorrência
E tente perceber o que estão eles a fazer no seu website. Não se deixe ficar para trás: se o seu concorrente apresenta um website com melhor design ou com funcionalidades mais apelativas considere seriamente fazer um upgrade à sua imagem digital.

7. Invista numa loja online
Se acha que o seu produto ou serviço não pode ser vendido pela internet, pense duas vezes. Hoje já tudo se pode comprar num smartphone. Em pouco tempo pode ter vendas a qualquer hora, em qualquer lugar. E com investimento financeiro menor do que julga: não hesite em pedir orçamentos.
Pequenas alterações como estas irão fazer com que o seu website apresenta a sua marca como mais adequada ao que o seu consumidor precisa. A maioria destas alterações são coisas simples que poderá fazer internamente, mas se achar que precisa de apoio não hesite em contactar a sua empresa de webdesign.

Cristina Dias,
Business Development @ Selmax

http://www.forbes.com/sites/juliapimsleur/2013/08/12/7-simple-tips-to-increase-online-sales-that-you-implement-right-now/2/
http://mashable.com/2014/08/14/website-changes-drive-sales/

Definir uma estratégia de Content Marketing consistente

Leadership And Learning

Não existe uma receita instantânea para marketing de sucesso. Uma acção única e isolada não irá garantir seguidores da sua marca apenas por si só e o mais certo é que acções dispersas de marketing se tornem custos sem retorno adequado, sem tradução imediata na criação de novos clientes.
As estratégias de marketing têm de ser definidas de forma estruturada e calendarizada, criar ritmos de trabalho e rotinas de comunicação. De forma a enquadrarem-se na estrutura de trabalho da sua empresa e a criarem a expectativa e a confiança do retorno no seu universo de clientes.
No marketing online passa-se o mesmo, mas de forma mais urgente. A informação na internet cresce exponencialmente a cada dia que passa, os seus clientes têm um acesso privilegiado a qualquer um dos seus concorrentes, estejam eles onde estiverem. Têm de existir um esforço constante em manter o destaque da sua empresa.
E não existem soluções fáceis e rápidas. Uma reestruturação do seu website consoante as últimas regras do SEO não lhe irá garantir uma posição de destaque permanente nos motores de busca, envios esporádicos de campanhas publicitárias por email não se irão destacar so spam diário que inunda as caixas de email.
É necessário criar uma presença, informação relevante para as necessidades dos seus clientes. Por content marketing entende-se a divulgação regular de informação de forma a criar uma ligação relevante para o seu mercado, não necessariamente de forma publicitária. Pode ser texto, videos, infográficos, entrevistas – desde que se relacione com a sua área de negócio e que seja informação que possa ser útil para o seu receptor.
Estas actividades têm de criar uma expectativa de regularidade no seu cliente. Escrever uma notícia por semana e publicá-la no seu website, partilhá-la nas redes sociais. Enviar uma newsletter por mês. Uma campanha de email marketing de dois em dois meses. Infográficos, entrevistas. Material informativo enviada de forma regular de forma a colocar a sua empresa como um nome relevante na sua área de mercado, com provas dadas de conhecimento e experiência.
Estas actividades usarão algumas horas de trabalho da sua empresa, irão requerer uma rotina que não deverá falhar, esforço de pesquisa e de criação de conteúdo. E os resultados não aparecerão de um dia para o outro. Mas crescerão exponencialmente ao longo dos meses. E subitamente ficará surpreendido ao dar-se conta de que clientes entrarão em contacto consigo em resposta à sua newsletter, farão share dos seus conteúdos nas redes sociais, falarão da sua marca. E o retorno começará a ser muito superior ao esforço investido.
Cristina Dias
Business Development @ Selmax

Como usar o LinkedIn para o desenvolvimento do seu negócio

Como usar o LinkedIn para o desenvolvimento do seu negócio

O LinkedIn é a rede social de eleição para os profissionais de todo o mundo. Tem mais de 260 milhões de utilizadores e 3 milhões de empresas registadas. 40% dos utilizadores acedem à página diariamente. Com a sua cobertura abrangente e alto nível de ligação aos utilizadores, o LinkedIn torna-se uma ferramenta inestimável para o desenvolvimento de qualquer negócio.
  1. Pode procurar os seus futuros clientes
    O LinkedIn permite-lhe conectar-se às empresas com as quais deseja trabalhar. Se essa empresa tiver uma página, pode segui-la para estar a par de notícias importantes que possam divulgar e que lhe podem dar informações importantes sobre a sua próxima venda.
  2. Novos contactos nos grupos do LinkedIn
    Pode juntar-se a grupos para conhecer melhor as necessidades dos seus clientes. Nesses grupos pode aproveitar também para divulgar conteúdo relevante, de forma a apresentar a  sua marca como uma líder na sua área de negócio. E, ao partilhar grupos com alguém que não seja da sua lista de contactos, consegue ter acesso ao envio de mensagens privadas.
  3. Aproveite o Advanced Search
    Pode filtrar os seus contactos por área de negócio, localização geográfica, função. Consegue assim chegar rapidamente aos contactos que lhe interessam e que podem representar possíveis futuros clientes.
  4. Adicione publicações e documentos ao seu perfil
    Que irá apresentar a sua marca como mais credível e especialista na sua área de negócio.
  5. Invista no LinkedIn Advertising
    Pode fazer divulgação de qualquer informação que considere de valor para os seus clientes. Pode fazer uma triagem do público alvo que deseja atingir com a sua mensagem. Isso irá garantir que quem clicar na sua mensagem são aqueles que mais se enquadram no seu público alvo.
  6. Aproveite todo o potencial das recomendações
    A credibilidade é um factor chave para fechar o seu próximo negócio. Incentive os seus contactos e anteriores clientes a deixarem uma recomendação na sua página. Referências enriquecerão o seu perfil e irão trazer mais valias à impressão que qualquer visitante tenha da sua marca.
  7. Use o bom senso
    E moderação. Não abuse de notícias que não tenham um interesse imediato, não divulgue publicidade directa, não coloque spam – sob pena de ser oculto pelas pessoas que pretende atingir. Seja prestável e útil: e o interesse na sua marca irá certamente crescer.
O LinkedIn é uma ferramenta poderosa no seu processo de angariação de vendas. Apenas alguns minutos bastam para desenvolver a imagem da sua marca nesta plataforma. E ficará mais próximo do seu próximo cliente.
Cristina Dias
Business Development @ Selmax

O fim da era dos hipermercados?

O fim da era dos supermercados

As notícias sobre o declínio nas vendas de um dos maiores hipermercados têm-se espalhado pelas agências noticiosas:
o gigante Walmart, uma das maiores cadeias de hipermercados do mundo, tem tido quedas nas vendas nos últimos meses. Nem tudo é explicado pela crise e pela diminuição do poder de compra da classe média.

Os consumidores têm, gradualmente, passado a optar por pequenas lojas de bairro. Já não sentem que fazer viagens de carro para encher o frigorífico seja algo que compense. Preferem fazer as compras em locais que apresentem o melhor preço por melhor conveniência. Locais onde conseguem comprar o que usam habitualmente, de preferência perto de casa. O consumo online também está a alterar a forma de adquirir bens que se definiu como norma nos anos 90: ao invés das compras para o mês onde também se compravam um número indefinido de artigos para a casa, roupa, carro, etc., o consumidor começar a optar por efectuar as suas compras em mercados mais próximos de casa para os artigos que considera essenciais e para artigos esporádicos em plataformas online.

O consumidor hoje é mais ponderado e informado. A diminuição do rendimento das famílias a par da facilidade em descobrir informação na internet faz com que quem vá comprar, por exemplo, uma televisão, já não a compre no hipermercado onde faz as compras do mês. Agora o consumidor irá fazer uma pesquisa online de modelos, características técnicas, preços e só aí optará pela loja onde irá adquirir a televisão. E se essa loja tem a possibilidade de ser adquirida online, o número de pessoas que já não se dá ao trabalho de ir à loja aumenta todos os dias.

Não será para já que vamos ver os hipermercados a fecharem. No entanto, os directores destas cadeias estão atentos e logicamente preocupados com o decréscimo das vendas e com o crescimento dos concorrentes online. Independentemente disso, estas alterações e o aumento de possibilidades de consumo beneficiará, em último caso, o consumidor final.

 

Cristina Dias
Business Development @ Selmax

Peça uma cotação