Notícias | Selmax

A Selmax também esteve no Websummit

O Websummit é o maior e mais importante evento europeu ligado às tecnologias, onde investidores e empreendedores se encontram na esperança de descobrir a última grande ideia tecnológica. Para além disse, empresas de todas as áreas de negócio vão a este evento ver de que forma os últimos desenvolvimentos tecnológicos poderão beneficiar a sua empresa. Em suma: um dos locais mais concorridos dos últimos tempos na área empresarial.

Os 50 000 bilhetes esgotaram (apesar do custo de mais ou menos 900€): o evento foi um sucesso, com vários oradores de renome internacional e apresentação de produtos inovadores em diversas áreas tecnológicas. A Selmax também marcou presença, na área de desenvolvimento de novos negócios e marketing digital.

Se não teve oportunidade de ir este ano saiba que o evento já tem lugar marcado em Lisboa durante os próximos dois anos. E aproveite para ver aqui o video da conferência de um dos oradores mais aguardados, Gary Vaynerchuck.

A HP faz 50 anos: saiba a história

A HP tem sido, ao longo dos 50 anos da sua existência, uma das empresas mais influentes na esfera tecnológica mundial. Saiba mais sobre a história desta marca, desde a sua criação numa garagem da Califórnia, pelas mãos de William Hewlett e David Packard.

PDR2020 – Novas oportunidades de financiamento

Abre este mês de Novembro a linha de financiamento a projectos de investimento agro-industrial do PDR2020, o principal programa nacional de fomento da inovação e expansão do sector em Portugal.

A INOVAe, parceiro da Selmax nas áreas da Inovação e do Financiamento, apoia o desenvolvimento de projectos, de forma consistente com a sua estratégia de crescimento: apoia o desenho de soluções inovadoras ao nível da produção, logística e distribuição dos produtos da sua empresa, assim como a definição e planeamento da abordagem a novas segmentos de mercado nacionais e internacionais.

Para saber mais sobre este tipo de oportunidades visite a página da Inovae . Aconselhamos também a subscrição da newsletter para estar sempre a par das últimas oportunidades de investimento para a sua empresa.

Estou preparado para a Internacionalização?

A economia portuguesa é pequena… mas aberta. Enquanto membro da EU, faz parte do maior mercado mundial de consumo. Mas mesmo ao nível histórico, social e cultural, Portugal foi sempre país caracterizado pela sua abertura ao comércio internacional e aos fluxos de investimento de e para o estrangeiro. A história recente é de aumento desta abertura. Pela integração no mercado único e pela extroversão das empresas nacionais por via das exportações e do investimento em novas geografias.

As exportações ganharam particular relevância para as PME. Mais de 19 000 empresas nacionais já exportaram, pelo menos uma vez, prioritaramente para o mercado comunitário. O peso das exportações no volume de negócios aumentou em todos os sectores, com especial destaque para as indústrias extractivas e transformadoras, onde as vendas para o estrangeiro passaram a representar quase metade do negócio. E muitas delas compensaram com exportações, as quebra de facturação no mercado interno.

As margens (EBITDA e líquida) das empresas exportadoras apresentam uma situação mais favorável que as das não exportadoras. A situação financeira do sector exportador compara favoravelmente com a das restantes empresas: maior autonomia financeira (36% vs. 28%), menor parcela de empresas com capitais próprios negativos (13% vs. 30%) e menor pressão financeira (20% vs. 36%).

Os número mostram que a opção de internacionalização permitiu a estas empresas serem melhor sucedidas no mercado.

Mas os números mostram também que o sector empresarial nacional ainda não assumiu totalmente a vocação de abertura e extroversão históricas da economia nacional. Apenas 12% das novas empresas nascem como exportadoras. E apenas 4% das microempresas são exportadoras.

Mesmo em termpos de crise no mercado interno, quando a opção de internacionalização parece óbvia… é um passo dificil de concretizar. Ou mesmo de planear.

A realidade é que as novas empresas, especialmente as novas MPME, carecem de recursos humanos, técnicos e de financiamento que lhes permitam alavancar a sua presença no mercado externo. E mesmo as MPME já existentes carecem de uma dimensão crítica para terem a exportação ou a presença directa em outros mercados como uma opção viável.

O que nos leva à pergunta do titulo: a sua empresa está preparada para a internacionalização?

  • Tem um portefólio de produtos e serviços transaccionáveis, internacionalizáveis e capazes de representar uma proposta de valor sólida em outros mercados? E quais os mercados prioritários?
  • Tem canais de distribuição eficazes para o seu produto e serviços em geografias seleccionadas? Tem acesso a bases de dados de prospecção, recursos comerciais e de marketing, serviços de logistica e transporte e meios de pagamento e recebimento adequados à sua actividade?
  • Tem recursos humanos capazes de conduzir e gerir o processo de internacionalização e a relação com clientes e fornecedores em novos mercados geográficos? E em quais?

Estas e outras perguntas carecem de resposta antes da tomada de decisão de internacionalização. Por este motivo criámos um modelo de diagnóstico à PREPARAÇÃO PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO. Esta ferramenta permite avaliar o grau de preparação das empresas e empresários que têm o tema da expansão para novas geografias na sua agenda. E faz o diagnóstico por várias áreas críticas, baseada na experiência da SELMAX no acompanhamento dos processos de exportação e internacionalização de empresas nacionais para geografias em 4 continentes e em sectores que vão do agro-alimentar às tecnologias de informação.

Bom trabalho, bons negócios … e boas decisões.

Microsoft vs Apple: novos lançamentos

A semana que passou foi animada em relação aos lançamentos da Microsoft e da Apple: na quinta e sexta-feira, respectivamente, as duas marcas apresentaram os seus últimos desenvolvimentos tecnológicos e novos produtos para o consumidor. E nenhuma das marcas decepciona. Continue a ler para saber mais.
A Microsoft lançou um surpreendente desktop que irá deixar felizes muitos profissionais das áreas criativas: a conjunção de computador de secretária com um tablet, num design inovador: o Surface Studio. Criaram também novos desenvolvimentos no scanning em 3d com o telemóvel. Veja mais sobre os lançamentos no video.
https://www.youtube.com/watch?v=sWU7BvqelkA&feature=youtu.be 
Por outro lado, a Apple fez um upgrade a um dos seus artigos mais emblemáticos: o MacBook Pro. Com a implementação de uma barra de funções táctil que irá optimizar o processo de trabalho de profissionais de todas as áreas, bem como outros desenvolvimentos. Cores mais vivas, maior poder gráfico, maior velocidade de processamento, mais pequeno. Um conjunto de desenvolvimentos que vem consolidar a imagem de melhor laptop do mercado. Saiba mais detalhes no video abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=w-w4nxblDNk&feature=youtu.be

 

Image source: Microsoft

Quanto é que Portugal mudou em 50 anos?

À primeira vista, 50 anos pode parecer muito tempo. E efectivamente em 50 anos muita coisa mudou em Portugal. Mas há coisas que se mantém iguais, por mais tempo que passe.
Neal Slavin é um fotógrafo que viveu e estudou em 1968 em Portugal. Os seus estudos debruçavam-se sobre a fotografia e fez um relato fidedigno sobre o que era ser português nessa altura. Nessa altura e hoje: porque há coisas que não mudam.

Veja aqui essas imagens inéditas sobre o que é Portugal.

O futuro do automóvel – agora

Neste momento já se torna comum a ideia de ter um automóvel ligado à internet. E esse tipo de desenvolvimentos tecnológicos apresenta promissoras oportunidades de negócio. Nos Estados Unidos representam já 9,3% da frota americana.

O automóvel poderá ter tecnologia interna que o torna ligado à internet ou pode estar emparelhado com o seu smartphone. Essas tecnologias internas poderão estar incluídas no próprio automóvel, mas já existem mecanismos que se podem adicionar a automóveis posteriores a 1996. Os serviços de manutenção para a ligação desses dispositivos já estão a ser inclusivé oferecidos por algumas marcas de automóveis, como a Audi, com serviços de subscrição que andarão à volta de 200 dólares por semestre. Os fornecedores de serviços de telemóvel americanos também já incluem este serviço por valores que começam nos 10 dólares por mês.

E o que é que um carro ligado à internet pode fazer por si? As possibilidades são imensas:

  • notificações de acidentes;
  • segurança contra roubos, como desligar remotamente o motor;
  • geolocalização de restaurantes e hóteis na viagem;
  • análise contínua do comportamento na estrada, do veículo e do condutor – informação que pode ser usada posteriormente pelas companhias de seguros;
  • geolocalização de lugares de estacionamento vagos com possibilidade de pagamento antecipado;

A Via Verde à qual já estamos habituados é apenas o começo. Há muito mais que a tecnologia pode fazer para melhorar a qualidade das suas viagens. A Mercedes, a Ford e a BMW: várias marcas já oferecem serviços inovadores a quem adquirir um dos seus veículos.

Quer saber mais? Veja aqui.

 

Créditos imagem: BMW

Um momento de inspiração

O discurso que John F. Kennedy fez quando o primeiro homem pisou na Lua continua a ser um dos discursos mais emblemáticos de sempre. A Selmax aconselha que clique aqui para ver.

 

 

O futuro da sua saúde está numa app?

A Apple tem vindo a reunir informação sobre a saúde dos seus utilizadores já há algum tempo com a aplicação “Health”, presente de origem em todos os iPhones. Com a introdução do Apple watch e a sua possibilidade de monitorização de batimentos cardíacos a Apple quer dar um passo além da simples análise de métricas de exercício físico.

Num futuro próximo, a informação reunida poderá ser analisada automaticamente e enviada em tempo real para o seu médico: frequência cardíaca, hábitos de sono, prática de exercício regular – essa informação armazenada proporciona uma análise detalhada do seu estado físico. Com estes dados, as possibilidades de desenvolvimento para o avanço da medicina são promissores.

Saiba mais aqui.

VALES INCUBAÇÃO | START UP VOUCHERS: O QUE SÃO?

stHá uma estratégia nacional de apoio ao empreendedorismo em curso. E começam a faltar razões para se queixar da falta de apoios ao seu projecto…

 

Estão aberturas as candidaturas para o Vale de Incubação e para os Startup Voucher.

Estas duas medidas integram o Startup Portugal, a estratégia nacional para o empreendedorismo, anunciada no passado mês de Março.

 

Como funcionam?

 

Os Vales de Incubação querem apoiar e promover a integração de empreendedores no ecossistema, através da contratação de serviços fornecidos por incubadoras de start-ups. Trata-se de um apoio de cinco mil euros por candidatura aprovada. O montante global destinado a esta medida são 10 milhões de euros. As start-ups que tenham acesso a este vale podem usá-lo em incubadoras certificadas pelo IAPMEI.

 

O Startup Voucher visa apoiar projectos empreendedores na fase da ideia.  Destina-se ao desenvolvimento de projectos empresariais que se encontrem em fase de ideia, promovidos por jovens com idade entre os 18 e os 35 anos, através de diversos instrumentos de apoio disponibilizados ao longo de um período de até 12 meses de preparação do projeto empresarial e apenas nas Norte, Centro e Alentejo.  O apoio consiste em:

  • Bolsa – É uma bolsa de quase 700 euros mensais (691,70 euros mensais), concedida durante um ano para que os empreendedores possam desenvolver o seu projecto.
  • Mentoria – acesso a uma rede de mentores que forneçam orientação aos promotores;
  • Assistência técnica – disponibilização de assistência técnica para o desenvolvimento do projecto empresarial;
  • Prémio de concretização – atribuição de um prémio à concretização do projecto empresarial e à constituição da empresa.

 

Os projectos podem ser apresentados até 30 de Dezembro de 2016.

 

Bons negócios!

#2106portugalmaior

 

Peça uma cotação