IMPRESSÃO 3D: A HISTORIA COMEÇA AGORA

prostetic-1273183__180Não foi a revolução rápida esperada há cerca de 10 anos, mas sim uma evolução intermitente e descompassada. A impressão 3D conquistou – e alimentou o crescimento – da comunidade de makers, mas já mostrou a sua intenção de “sair de casa” e, aos poucos, vai transformando a forma de pensar e fazer indústria.

 
A impressão 3D é cada vez mais apropriada pela industria no sentido de responder à crescente necessidade de fabricação de peças personalizadas e de forma flexível.
Já acontece na fabricação de moldes e próteses dentárias, na fabricação de ajudas técnicas para a saúde – muletas, próteses, etc – e no desenvolvimento acelerado de serviços de teste e prototipagem rápida em várias indústrias. Sectores como os moldes e o calçado já utilizam a impressão 3D para simular novos produtos e a sua resposta rápida pelo mercado. Graças à sua flexibilidade, indústrias de base como a aeronáutica e aero-espacial podem usar a fabricação 3D para responder a especificações de peças e componentes que apenas vão ser usados numa aeronave ou num cliente, reduzindo drasticamente os custos de re-tooling e aumentando a satisfação do cliente.

 

A Wohlers estima que o mercado é ainda pequeno mas está a crescer a uma taxa de 26%, valendo cerca de 5,2 mil milhões de USD só nos EUA.

Dados da Mckinsey estimam que o crescimento acelerado da impressão 3D e fabricação incremental levarão a que, em 2025, este mercado tenha um impacto superior a 500 mil milhões de USD na economia global.

 



A rápida evolução tecnológica está a melhorar a qualidades das impressoras 3D, a qualidade dos materiais e consumíveis de impressão e a usabilidade dos equipamentos. Já existem equipamentos capazes de imprimir sólidos em mais de 360 000 cores diferentes. Noutro sentido, impressoras industriais podem já imprimir objectos da dimensão de uma casa.
O futuro trará impressões mais rápidas, mais flexíveis, em novos materiais que irão das resinas ao titânio e produtos finais de maior qualidade, capazes de ser produzidos em casa pelo cliente final (como um aparelho para os dentes ou saltos de sapatos personalidades).
A impressão 3D nunca substituirá a produção em massa. Mas nem deverá ser essa a sua função.

 

A impressão 3D responde a um outro modo de fazer industria, um modelo de maior interacção entre o cliente e o fabricante, entre a peça e o seu utilizador. No mundo da indústria 4.0 e consumo 4.0, a impressão 3D terá um papel determinante.
Bons negócios!

 

 

Comments ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    Peça uma cotação