Category: Sales Consulting

FINANCIAMENTO A PROJECTOS DE TURISMO


logoO sector do turismo tem vindo a ganhar peso na economia nacional e afirma-se hoje como uma das áreas onde as empresas nacionais são mais competitivas à escala global.

 

O ano de 2016, tal como já havia acontecido em 2015, está a ser extremamente positivo para o sector nacional do turismo.

 

  • As taxas de ocupação em quartos de hotel mantém-se elevadas e em máximos históricos;
  • O crescimento da procura tem vindo a motivar uma recuperação dos preços médios por serviço, aumento o valor gerado.
  • Está quase a ser ultrapassada a fasquia dos 50 milhões de dormidas, facto para o qual contribui a divergência para Portugal de turistas que procuravam outros destinos mediterrânicos.
  • O peso do turismo no PIB mantém-se em crescimento, mas o contributo do sector para o equilíbrio externo cresceu muito significativamente, especialmente num contexto de desaceleração (ou retracção) das exportações em outros sectores.

 

Portugal é extremamente competitivo na oferta de turismo e o crescimento do sector gera externalidades positivas em múltiplos sectores tradicionais e não tradicionais.

 

Os empresários do sector que pretendam investir em projectos inovadores de turismo têm ao seu dispôr múltiplas opções de apoio ao investimento que visam promover o crescimento de uma oferta futuristic de qualidade e reduzir o risco associado ao negócio:

 

  • Até 15 de Setembro, as empresas com projectos inovadores de criação ou expansão da sua oferta de produtos e serviços de turismo beneficiam da linha de apoio a Projectos de Execução Rápida no âmbito do PT2020. Os projectos podem ser apoiados até 60% das despesas elegíveis e devem ser terminados num prazo de 12 meses.
  • Até 30 de Setembro, o PT2020 tem abertas as linhas de apoio a projectos de Inovação Produtiva e a projectos de Empreendedorismo Qualificado, em ambos os casos, tendo o turismo como um dos sectores prioritários. As empresas devem demonstrar o carácter inovador dos seus projectos.
  • Até Dezembro de 2017, as empresas de Turismo que estão a equacionar lançar um negócio neste sector têm ainda acesso a crédito bonificado no âmbito da Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2016. Podem ser financiados projectos de investimento que se traduzam na criação de empreendimentos turísticos inovadores ou a requalificação de empreendimentos turísticos, assim como no desenvolvimento de projetos na área da animação turística e da restauração. Este instrumento financia um valor máximo de 75% do investimento elegível.

 

As opções existem e devem ser consideradas pelos empresários do sector no lançamento de novas iniciativas de negócio. O acesso a financiamento barato ou mesmo a fundo perdido possibilita forte redução dos riscos de negócio e uma posição competitiva favorável face a concorrentes menos atentos.

 

Precisa de mais informação? Contacte-nos!

 

Bons negócios!

INCENTIVOS À INTERNACIONALIZAÇÃO E MODERNIZAÇÃO: NOVOS CONCURSOS

compete2020Abriram finalmente os (muito) esperados concursos do PT2020 no âmbito do apoio à modernização e internacionalização de empresas.

Pretende investir em internacionalização, economia digital, marketing internacional, qualidade, distribuição ou formação e procura apoios?

 

A SELMAX ajuda!

  • Se seguir os links abaixo pode saber mais sobre os concursos actualmente abertos.
  • Se nos contactar, teremos todo o gosto em ajudá-lo a compreender como pode beneficiar destes apoios.
  • E ainda produzimos para si o guia “APOIO A INTERNACIONALIZAÇÃO/QUALIFICAÇÃO: COMO FUNCIONA?”. Contacte-nos e enviamos gratuitamente para o seu endereço de correio electrónico.

 

Os projectos podem ser apresentados até 31 de Outubro de 2016 e a taxa de financiamento pode chegar até 45%, a fundo perdido.

 

Bons negócios!

#2106portugalmaior

 

 

Aviso 18/SI/2016

Aberto concurso para Apresentação de Candidaturas – Sistema de Incentivos “Qualificação das PME”

Tipos de projectos:

  • Inovação organizacional e gestão
  • Economia digital e tecnologias de informação e comunicação (TIC)
  • Criação de marcas e design
  • Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos
  • Proteção de propriedade industrial
  • Qualidade
  • Transferência de conhecimento
  • Distribuição e logística
  • Eco-inovação
  • Formação profissional

 

 

Aberto concurso para Apresentação de Candidaturas – Sistema de Incentivos “Internacionalização das PME”

Tipos de projectos: 

  • O conhecimento de mercados externos;
  • A presença na web, através da economia digital;
  • O desenvolvimento e promoção internacional de marcas;
  • A prospeção e presença em mercados internacionais;
  • O marketing internacional;
  • A introdução de novo método de organização nas práticas comerciais ou nas relações externas;
  • As certificações específicas para os mercados externos.

 

 

 

IMPRESSÃO 3D: A HISTORIA COMEÇA AGORA

prostetic-1273183__180Não foi a revolução rápida esperada há cerca de 10 anos, mas sim uma evolução intermitente e descompassada. A impressão 3D conquistou – e alimentou o crescimento – da comunidade de makers, mas já mostrou a sua intenção de “sair de casa” e, aos poucos, vai transformando a forma de pensar e fazer indústria.

 
A impressão 3D é cada vez mais apropriada pela industria no sentido de responder à crescente necessidade de fabricação de peças personalizadas e de forma flexível.
Já acontece na fabricação de moldes e próteses dentárias, na fabricação de ajudas técnicas para a saúde – muletas, próteses, etc – e no desenvolvimento acelerado de serviços de teste e prototipagem rápida em várias indústrias. Sectores como os moldes e o calçado já utilizam a impressão 3D para simular novos produtos e a sua resposta rápida pelo mercado. Graças à sua flexibilidade, indústrias de base como a aeronáutica e aero-espacial podem usar a fabricação 3D para responder a especificações de peças e componentes que apenas vão ser usados numa aeronave ou num cliente, reduzindo drasticamente os custos de re-tooling e aumentando a satisfação do cliente.

 

A Wohlers estima que o mercado é ainda pequeno mas está a crescer a uma taxa de 26%, valendo cerca de 5,2 mil milhões de USD só nos EUA.

Dados da Mckinsey estimam que o crescimento acelerado da impressão 3D e fabricação incremental levarão a que, em 2025, este mercado tenha um impacto superior a 500 mil milhões de USD na economia global.

 



A rápida evolução tecnológica está a melhorar a qualidades das impressoras 3D, a qualidade dos materiais e consumíveis de impressão e a usabilidade dos equipamentos. Já existem equipamentos capazes de imprimir sólidos em mais de 360 000 cores diferentes. Noutro sentido, impressoras industriais podem já imprimir objectos da dimensão de uma casa.
O futuro trará impressões mais rápidas, mais flexíveis, em novos materiais que irão das resinas ao titânio e produtos finais de maior qualidade, capazes de ser produzidos em casa pelo cliente final (como um aparelho para os dentes ou saltos de sapatos personalidades).
A impressão 3D nunca substituirá a produção em massa. Mas nem deverá ser essa a sua função.

 

A impressão 3D responde a um outro modo de fazer industria, um modelo de maior interacção entre o cliente e o fabricante, entre a peça e o seu utilizador. No mundo da indústria 4.0 e consumo 4.0, a impressão 3D terá um papel determinante.
Bons negócios!

 

 

PARCERIAS PARA O IMPACTO: FINANCIAMENTO A PROJECTOS

portugal-inovacao-social_weblogo281x89Estão abertas as candidaturas ao Programa de Parcerias para o Impacto. Este Programa apoiará projectos de empreendedorismo e inovação Social, implementáveis num prazo de até 3 anos e que necessitem de pelo menos 100 mil euros de financiamento.

 

As candidaturas devem ser apresentadas até 7 de Outubro de 2016!

 

O programa prossegue o duplo objectivo de 1) estimular o desenvolvimento do empreendedorismo e inovação social e 2) dinamizar a prática de investimento social na lógica de filantropia de impacto. Esses dois objectivos são alcançados através de um modelo de apoio de natureza não reembolsável a projectos cujo potencial de criação de valor para a sociedade seja elevado e que tenha garantido cofinanciamento por parte de investidores sociais, servindo o financiamento público concedido no âmbito da presente tipologia como mecanismo de incentivo e alavancagem de investimento social.

 

O programa financia até 50% dos custos elegíveis, sendo o restante da responsabilidade dos empreendedores sociais. Podem candidatar-se, isoladamente ou em parceria, entidades do âmbito da economia social promotoras de actividades de economia e inovação social, cuja intervenção física tenha lugar nas regiões do Norte, Centro ou Alentejo.

 

Para mais informações consulte o aviso de abertura abaixo ou contacte-nos!

 

http://inovacaosocial.portugal2020.pt/wp-content/uploads/2016/07/AAC_3.33_Programa-de-Parcerias-para-o-Impacto_v2.pdf

 

Bons negócios!

 

 

 

FINANCIAMENTO A ACÇÕES DE COOPERAÇÃO ENTRE REGIÕES DE PORTUGAL, ESPANHA E FRANÇA

interegO Programa Interreg Sudoe apoia o desenvolvimento regional no sudoeste da Europa promovendo a cooperação transnacional para resolver problemas comuns às regiões do sudoeste europeu, como o baixo investimento em investigação e desenvolvimento e a baixa competitividade das PME

Em resumo, a União Europeia considera que a forma mais eficiente de encontrar soluções para estes desafios é trabalhar em comum. Unindo os esforços vai permitir superar as barreiras nacionais e permitirá extrair as melhores
ideias, partilhar boas práticas e evitar duplicar os trabalhos.

Os projectos devem ser apresentados por parcerias formadas por entidades públicas ou privadas procedentes das seguintes regiões:

  • Espanha: todas as comunidades autónomas (excepto Canárias) e as cidades autónomas de Ceuta e Melilla.
  • França: Aquitania, Auvernia, Languedoc-Rosellón, Limosín, Midi-Pyréneés e Poitou-Charentes.
  • Portugal: todas as regiões continentais (exceto Madeira e Açores).
  • Reino Unido (Gibraltar) e o Principado de Andorra.

 

As tipologias de projectos elegíveis estão organizadas em 5 eixos temáticos:

  1. Investigação e Inovação
  2. Competitividade das PME
  3. Economia de baixo teor de carbono
  4. Luta contra as alterações climáticas
  5. Meio ambiente, eficiência e recursos.

 

O Programa conta com um orçamento de 141 milhões de euros e o próximo concurso está previsto para Outubro de 2016, mas apenas para os eixos 1 e 5.

 

Poderão ser apresentados projectos de:

  • Eixo 1: Criação ou desenvolvimento de plataformas de colaboração, fomento de Associações Europeias de Inovação e as Plataformas Tecnológicas Europeias, coordenação entre as estratégias regionais de especialização inteligente, desenvolvimento de modelos de transferência de tecnologia, consolidação de cadeias de valor no âmbito dos Tecnologias Facilitadoras Essenciais (TFE), desenvolvimento de acções piloto e projectos demonstrativos multi-TFE, difusão de tecnologias TFE ao nível de empresas e outras infraestruturas de I+D+i e aplicação da inovação para a melhoria da protecção do ambiente.
  • Eixo 5: Estratégias de desenvolvimento sustentável e de atenuação do impacto ambiental em espaços turísticos e de exploração económica, melhoria do conhecimento do património cultura e natural comum e do potencial económico das zonas naturais, promoção do património natural e cultural reconhecido a nível internacional, valorização económica dos produtos resultantes da exploração florestal e de recursos naturais, estratégias conjuntas de protecção e restauração dos ecossistemas e gestão integrada dos recursos e zonas
    naturais e projectos de preparação ou trabalhos de engenharia ecológica para estabelecer uma rede da continuidade ecológica, incluindo a zona urbana e periurbana.

Quer saber mais? Siga o link abaixo e consulte o manual do programa… ou contacte-nos!

http://www.interreg-sudoe.eu/contenidoDinamico/LibreriaFicheros/B8E6129B-01B4-BF0A-D381-6E58437349D2.pdf

 

E bons negócios!

 

 

 

 

 

Empresas sociais: um guia para o financiamento


volunteer-1326758_960_720Por «empresa social», a Comissão Europeia entende as empresas cujo objectivo social ou de sociedade, de interesse comum, justifica a acção comercial, que se traduz, frequentemente, num alto nível de inovação social, cujos lucros são reinvestidos principalmente na realização desse objecto social e cujo modo de organização ou sistema de propriedade reflecte a sua missão, baseando-se em princípios democráticos ou participativos ou visando a justiça social.

(COM(2011) 682: 2)

 

 

 

 

Na fronteira entre as sociedades comerciais tradicionais e as entidades da economia social sem finalidade lucrativa, as empresas sociais têm ganho espaço na economia europeia e afirmam-se como agentes relevantes no contexto da criação e disseminação de inovações sociais.

 

Sendo elas próprias um instrumento inovador – infelizmente ainda sem tradução eficaz no enquadramento da legislação comercial em Portugal – as empresas sociais permitem a afirmação de objectivos sociais por parte dos fundadores/empreendedores envolvidos ao mesmo tempo que demarcam e protegem os direitos de propriedade associados à inovação social e permitem aos investidores a retenção e valorização do capital aplicado.

 

A inovação social também é inovação. E a inovação gera valor, social… e económico.

E nem sempre os empresários sociais apropriam convenientemente a ideia, procurando sobretudo apoio sob a forma de doações ou subsídios, em vez de apoiarem o desenvolvimento e a continuidade das suas actividades no quadro de modelos de negócio mais adequados … e sustentados.

 

 

A União Europeia coloca ao dispôr das empresas sociais um conjunto de instrumentos de apoio que podem e devem ser aproveitados em Portugal. No link abaixo deixamos um manual criado pelo COMPASS que pode ser particularmente importante para os empresários sociais nacionais.

 

 

Se tiver dúvidas ou questões contacte-nos, ou contacte o COMPASS.

 

Link:

https://www.fi-compass.eu/sites/default/files/publications/Factsheet_Financial_instruments_working_with_social_entrepreneurship.pdf

 

 

Bons negócios… sociais!

 

 

 

NOVOS CONCURSOS PARA O FINANCIAMENTO DE PROJECTOS DE INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

compete2020Abriram os novos concursos do PT2020 para o financiamento e incentivos a projectos de inovação produtiva e empreendedorismo qualificado!
Até 3o de Setembro!

 

Aviso N.º 12/SI/2016

Aberto concurso para Apresentação de Candidaturas – Sistema de Incentivos “Inovação Produtiva”

 

Este concurso pretende apoiar investimentos no domínio da diferenciação, diversificação e inovação, na produção de bens e serviços transaccionáveis e internacionalizáveis, no quadro de fileiras produtivas e de cadeias de valor mais alargadas e geradoras de maior valor acrescentado.

 

Os projectos devem focar a:

  • A criação de um novo estabelecimento;
  • O aumento da capacidade de um estabelecimento já existente;
  • A diversificação da produção de um estabelecimento para produtos não produzidos anteriormente no estabelecimento;
  • A alteração fundamental do processo global de produção de um estabelecimento existente.

Os apoios terão a forma de incentivo reembolsável até 75% do valor da despesa elegível. Se os objectivos do projecto forem cumpridos, até 50% do apoio pode ser transformado em apoio a fundo perdido.

 

 

Aviso N.º 13/SI/2016

Aberto Aviso para Apresentação de Candidaturas – Sistema de Incentivos | Empreendedorismo Qualificado e Criativo
Este concurso pretende reforçar os níveis de empreendedorismo qualificado e criativo (incluindo empreendedorismo de base tecnológica), através de apoios directos aos empreendedores, favorecendo a emergência de novas oportunidades de negócio, nomeadamente em domínios criativos e inovadores e o nascimento de mais empresas em sectores de alta e média-alta tecnologia.

 

São susceptíveis de apoio os projectos de criação de empresas que desenvolvam actividades em sectores com fortes dinâmicas de crescimento, incluindo as integradas em indústrias criativas e culturais, e ou sectores com maior intensidade de tecnologia e conhecimento e criação de empresas que valorizem a aplicação de resultados de I&D na produção de novos bens e serviços.

 

Podem candidatar-se PME novas ou criadas há menos de 2 anos. Os apoios terão a forma de incentivo reembolsável até 75% do valor da despesa elegível. Se os objectivos do projecto forem cumpridos, até 50% do apoio pode ser transformado em apoio a fundo perdido.

 

Quer saber mais? Contacte-nos.

Bons negócios!

FINANCIAMENTO A PME MADURAS ATRAVÉS DE INSTRUMENTOS DE CAPITAL REVERSÍVEL

 

ifdEstá aberto o concurso para a selecção e financiamento de intermediários financeiros, no contexto de operações de capital reversível com PME maduras com potencial de crescimento.

 

A presente linha enquadra-se no Programa Capitalizar e a linha manter-se-á aberta até esgotar a dotação orçamental disponível (inicialmente serão cerca de 20 milhões de Euros).

 

 

Como funciona?

 

Instituições financeiras, fundos de capital de risco ou business angels podem apresentar candidaturas.

Cada projecto deve ter por alvo o investimento numa PME madura, mas com potencial de mercado.

 

  • O apoio do Programa Capitalizar pode chegar a 750 000 Euros por operação.
  • As candidaturas serão analisadas numa lógica first come, first served.
  • As operações de capitalização podem ser transformadas, no decorrer do projecto, em instrumentos de dívida sob a forma de operações de financiamento de médio e longo prazo em que a PME se compromete, por essa via, à compra da posição.

 

Pretende-se melhorar a qualidade dos balanços e a autonomia financeira de empresas PME maduras, que operem em mercados sustentáveis e que apresentem potencial de crescimento, mas que enfrentem dificuldades de natureza financeira para consolidarem ou expandirem a sua posição no mercado.

 

 

 

Quer saber mais? Visite o link abaixo ou contacte-nos…. e bons negócios

 

Linha de Financiamento a Operações de Capital Reversível

 

 

 

INDUSTRIA 4.0: FINANCIAMENTO A START-UP E SPIN-OFFS EMPRESARIAIS

 

Até 18 de Agosto de 2016, estão abertas as candidaturas ao programa da Portugal Ventures destinado ao apoio a novas iniciativas empresariais de Industria 4.0

A Call Indústria 4.0 é um novo programa de investimento da Portugal Ventures dirigido a empreendedores e empresas com o objetivo de promover a criação de start-ups e spin-offs empresariais e universitárias no âmbito do conceito de Indústria 4.0, contribuindo para acelerar o desenvolvimento e modernização da indústria nacional, tornando-a mais produtiva e rica, eficiente, flexível, e globalmente competitivas.

 

Serão elegíveis para investimento projectos nas áreas de:

  • Novos desenvolvimentos orientados para a virtualização, integração e optimização de cadeias de valor globais, horizontais e verticais, nomeadamente com a integração, a montante e a jusante, de consumidores/clientes e fornecedores nos processos de concepção, desenvolvimento e produção;
  • Definição e gestão de novas cadeias de valor virtualmente integradas com níveis crescentes de especialização nos diversos layers que as constituem, incluindo as fases de gestão do fim de vida dos produtos;
  • Crescente digitalização dos processos de criação, produção e interconectividade de equipamentos, soluções e serviços através da utilização massificada dos conceitos, materiais e dispositivos, arquitecturas e aplicações de sistemas e software no espaço da internet das coisas e da incorporação de tecnologias de produção avançadas;
  • Novos modelos de negócio no espaço da economia do conhecimento que proporcionam um aumento significativo de valor para empresas e clientes, nomeadamente através de soluções customizadas.

 

Os projectos poderão ter apoio financeiro até 500 000 euros e beneficiarão ainda do acompanhamento e expertise da Portugal Ventures nas suas fases de lançamento, incubação e crescimento.
Para saber mais siga o link abaixo ou contacte-nos:
http://www.portugalventures.pt/pt-pt/page/industria-40
Bons negócios!

FINANCIAMENTO A PROJECTOS INOVADORES DE TURISMO

pvEstá aberto, até 31 de Julho, a janela de candidaturas da Portugal Ventures para o financiamento até 500 000 Euros de projectos de turismo que valorizem o património nacional.

Esta iniciativa pretende contribuir para o desenvolvimento de actividades turísticas associadas à valorização do património cultural e natural do País e dinamizar a criação de projectos que visem a fruição turística do património cultural e natural do País, podendo, ou não, ser de base tecnológica.

 

As candidaturas podem ser submetidas a partir de 31 de Julho de 2016.

 

Para mais informação consulte o link abaixo ou contacte-nos!

http://www.portugalventures.pt/pt-pt/page/patrimonio-turismo

 

Bons negócios!
Peça uma cotação